Por que é necessário planejar ações educativas?

Dionatan da Silva[1]

“O fim da ação educativa é desenvolver no indivíduo e no grupo a capacidade de analisar criticamente a sua realidade;de decidir ações conjuntas para resolver problemas  e modificar situações; de organizar e realizar a ação, e de avaliá-la com espírito crítico”.

 

Neste breve artigo, buscarei abordar algumas questões referentes à contribuição do planejamento aonde é utilizado para organizar a ação educativa uma vez que permite que se levante o questionamento do tipo de cidadão que se pretende formar, e por que é necessário planejar ações educativas deixando, assim, de ser um simples regulador para se tornar ato político-filosófico, científico e técnico

Palavras-chave: Planejamento; Ação Educativa; Organização.

Fazer planejamento é uma atividade conhecida do homem desde que ele se descobriu com capacidade de pensar e antes de agir. Mas foi através do desenvolvimento comercial e industrial, acompanhando do capitalismo, que surgiu a preocupação de planejar as ações antes que elas ocorressem. Hoje, em todos os setores da atividade humana, fala-se muito em planejamento, com maior ênfase na área educacional. Atualmente ele é uma necessidade em todas as áreas de atuação. Quanto maior a complexidade dos problemas, maior é a necessidade de planejar as ações para garantir melhores resultados.

Planejar, definindo de forma simples e comum, é não improvisar. É compatibilizar um conjunto diversificado de ações, de maneira que sua ação possibilite o alcance de um objetivo comum. É o processo de decidir o que fazer. São a escolha organizada dos melhores meios e maneiras de se alcançar os objetivos propostos.

Planejar é preparar e organizar bem uma ação, decidir o que fazer e acompanhar a sua execução, reformular as decisões tomadas, redirecionar a sua execução, se necessário, e avaliar os resultados ao seu término.

Acompanhar a execução das ações é importante para verificar se os objetivos pretendidos estão sendo alcançados ou não. O processo de planejamento contempla pelo menos três momentos sem permanente interação: preparação, acompanhamento e revisão crítica dos resultados, buscando-se sempre caminhos que facilitem a realização do que foi previsto.

Já na escola, o corpo docente e os discentes são integrantes da dinâmica das relações sociais; tudo o que acontece no meio educacional tem  influências econômicas, políticas e culturais que caracterizam a sociedade de classes.

Segundo BORDENAVE, todos os processos educativos, assim como as técnicas educativas que é instrumentos de ensino – aprendizagem, se baseiam em uma determinada concepção de “como conseguir que as pessoas aprendam e modifiquem sua prática”

Isso significa que através dos elementos do planejamento escolar – objetivos, conteúdos, métodos – estão recheados de implicações sociais, têm um significado genuinamente político. Por essa razão, o planejamento é uma atividade de reflexão acerca das nossas escolhas e ações; se não pensarmos sobre o rumo que devemos dar no nosso trabalho, ficaremos a mercê dos interesses dominantes da sociedade.


[1] Dionatan da Silva, Formado em Letras – Licenciatura Plena, Especialista em Metodologia para o Enfrentamento a Violência Contra a Criança e o Adolescente da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, Discente do curso de Especiliazação em Direitos Humanos – IFIBE

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s